Direitos de doar

campanhadoarsangue

A doação de sangue é um ato voluntário e altruísta que SALVA VIDAS.
É muito importante que pessoas saudáveis doem regularmente.

Se você quer ser um doador voluntário de sangue, veja algumas orientações antes de decidir pela sua doação:

  • O procedimento de doação envolve duas pessoas: o doador e o receptor de sangue. É obrigatório que a instituição que faça a coleta de sangue cuide da segurança do doador e da segurança do sangue a ser recebido pelo receptor.
  • Você será submetido a uma entrevista de triagem clínica. A equipe de triagem do Hemocentro é composta de profissionais da área da saúde, de nível superior, treinados de acordo com as Normas Vigentes do Ministério da Saúde. Esta entrevista tem por objetivo identificar situações e doenças que impedem de forma temporária ou definitiva a doação de sangue, bem como identificar os candidatos a doação que preencham os critérios definidos em Lei para ter o sangue transfundido em outra pessoa.
  • A entrevista é basicamente dividida em duas partes. Na primeira serão perguntadas a você, questões referentes à sua saúde, e na segunda, questões sobre hábitos vida e hábitos de atividade sexual.
  • Você perceberá que algumas perguntas são sobre a intimidade, que não são habitualmente feitas a não ser em doação de sangue. No entanto são obrigatórias, fazem parte do treinamento recebido pelo triador e devem ser respondidas com objetividade e a resposta clara de um sim ou não.
  • Você deve entender que o motivo das perguntas é garantir a sua segurança, e cumprir o dever legal de garantir a segurança do receptor de seu sangue, sem considerá-las ofensa ou qualquer grau de desconfiança individual.
  • Caso durante a entrevista você receber a informação que não poderá doar sangue por um período temporário ou definitivo, devido a algum impedimento, conforme as Normas Vigentes, poderá perguntar ao triador o motivo, que será explicado.
  • Ressaltamos ainda que a inaptidão do candidato a doação de sangue não é realizada por critérios do próprio triador, mas sim por critérios médicos.
  • Em caso de discordância, preencher formulário de Sugestão/Reclamação disponível no Hemocentro Regional de Maringá.

Sobre o direito de doar sangue:

Como já dissemos, a doação de sangue é fundamental para salvar vidas. Entretanto um dos objetivos da triagem clínica é evitar riscos de reações associadas à transfusão de sangue para o paciente receptor, incluindo a transmissão de doenças ou efeitos de medicações que possam ser prejudiciais.

Portanto lembre-se:

Não existe o “direito de doar sangue”, somente o direito de se candidatar a ser um doador. A aceitação da doação depende de uma série de fatores, que levam em conta o risco que a doação pode representar tanto para a saúde do doador (paciente com anemia ou hipertensão, por exemplo) quanto para a do receptor.

Ressaltamos que o ponto crítico neste assunto não é em relação aos candidatos à doação, mas sim o direito de todo cidadão de receber produtos relacionados à saúde com a máxima qualidade e segurança. Este é o dever do Estado.

Fonte: DOAÇÃO DE SANGUE- GESAC/GGSTO/ANVISA Revista Brasileira de Bioética- Volume 2 – número 3- 2006.